23 de maio, 2019

Notícias

Home » Geral » Plano de internacionalização facilita exportação de pequenos negócios

Plano de internacionalização facilita exportação de pequenos negócios

Plano de internacionalização serve para identificar as vantagens e as dificuldades da exportação de um bem ou serviço
(Arte/Tutu)

 

Planejamento ajuda pequenas e médias empresas a identificar potenciais mercados fora do País

 

O empresário sabe que o fraco desempenho da economia nacional traz reflexos negativos no dia a dia dos negócios. Nessa situação, investir no setor exportador é uma forma de driblar a oscilação do mercado interno. Isso porque, a despeito de alguns obstáculos típicos do processo de comércio exterior, pequenas e médias empresas que abraçam a cultura exportadora costumam registrar aumento nos lucros e se tornam mais competitivas.

É inegável que pequenos negócios enfrentam dificuldades como de acesso ao crédito e de profissionais qualificados para conduzir atividades comerciais em outros mercados. Contudo, ao elaborar um plano de internacionalização, levando em conta os recursos à disposição da empresa e as particularidades de um setor de interesse, os entraves à exportação são reduzidos consideravelmente, ampliando as possibilidades de êxito no comércio com outros países.

Cabe destacar que o processo de exportação ainda é burocrático no Brasil, mas o governo vem atuando de forma a facilitar as operações através do Portal Único do Comércio Exterior.

Em linhas gerais, o plano de internacionalização serve para identificar as vantagens e as dificuldades da exportação de um bem ou serviço. Confira a seguir as informações mais importantes, de acordo com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP):

Análise da própria empresa
É salutar que a empresa verifique se está realmente pronta para exportar. É preciso levar em conta a maturidade da empresa, como ter uma boa participação no mercado interno, ter saúde financeira para os investimentos iniciais, identificação dos seus concorrentes (o que eles estão exportando e para quais países), dentre outras informações.

Análise das contas da empresa
É importante avaliar se a exportação é uma operação realizável para a empresa. O empresário deve estar ciente de que é preciso ter recursos em caixa para cobrir eventuais despesas que possam ocorrer na fase inicial de internacionalização, tais como viagens, pesquisas de mercado, participação em feiras, entre outras.

Identificação do mercado potencial
A empresa precisa identificar em quais países o seu produto encontra boas oportunidades de mercado. O que pode ajudar nessa tarefa é o “Mapa estratégico de mercados e oportunidades comerciais”, disponibilizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Nesta plataforma, destacam-se países considerados estratégicos para atuação comercial brasileira que foram destino de aproximadamente 80% das exportações brasileiras para o mundo. Também é possível identificar os setores e as formas de atuação em cada um desses mercados.

Estudo do mercado potencial
Para aumentar as chances de realizar uma exportação bem-sucedida, deve-se conhecer a cultura e as normais locais. Os produtos ofertados possivelmente deverão ser adaptados em alguma medida para atender aos critérios do mercado no qual serão comercializados. Também é importante identificar potenciais concorrentes e parceiros, além de estudar se as condições econômicas e políticas do país são favoráveis à exportação.

Análise do produto ofertado
Ao elaborar o plano de internacionalização, é importante analisar minuciosamente o produto para identificar se atende às normas técnicas do país no qual pretende comercializá-lo. Por isso, é recomendável apresentar todos os detalhes técnicos em uma eventual negociação. Pequenos e médios empresários podem procurar o Programa de Apoio Tecnológico à Exportação (Progex), do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), para adaptar seus produtos às exigências técnicas de um mercado externo.

Precificação dos produtos
Em geral, produtos exportados contam com isenção de alguns impostos (IPI, ICMS, PIS/Cofins), o que contribui para praticar preços mais competitivos fora do País. De qualquer maneira, um contador pode ajudar na formação de preços, devendo considerar custos e eventuais problemas típicos de comércio exterior, como atrasos nas entregas.

Conhecimento dos termos internacionais de comércio e acordos comerciais
A empresa deve conhecer as regras que definem os direitos e as obrigações de exportadores e importadores. Também é importante utilizar os acordos comerciais celebrados pelo Brasil com outros países, os quais facilitam as operações de comércio exterior.

Entrar no mercado de exportação, portanto, requer planejamento para que a experiência seja positiva. Com isso em mente, o empreendedor que consegue enxergar além dos obstáculos tem grandes chances de aproveitar os benefícios do comércio internacional.

A FecomercioSP, por meio de seu Conselho de Relações Internacionais, fica à disposição para auxiliar o empresário em todas as etapas do processo de comércio exterior, inclusive para promover rodadas de negócios com potenciais parceiros internacionais, por meio do e-mail internacional@fecomercio.com.br. O empreendedor interessado em saber mais sobre como internacionalizar seu negócio também pode conferir as principais informações na cartilha O que você precisa saber para exportar.

 

http://www.fecomercio.com.br/noticia/plano-de-internacionalizacao-facilita-exportacao-de-pequenos-negocios

Comentários