22 de Maio, 2018

Notícias

Home » Sincovaga » Por que contribuir?

Por que contribuir?

A contribuição sindical fortalece o setor, auxilia na tomada de decisões e defende o segmento; o impacto financeiro é mínimo

A reforma trabalhista, aprovada no ano passado, entre muitas alterações havidas, tornou facultativa a contribuição sindical.

Mas ser facultativo não diminuiu sua importância para a saúde econômica das empresas, especialmente para as menores. Com este novo conceito de contribuição sindical, a empresa continuará obrigada a seguir as convenções coletivas.

E para esse e outros serviços é imprescindível a atuação do SINCOVAGA, sobretudo na prestação de consultoria durante todo o processo. A entidade custeada por recursos da contribuição sindical, mantém assessoria nas áreas trabalhista, tributária, comercial, entre muitas outras, destinadas, principalmente, às pequenas e médias empresas, que não possuem, na maioria das vezes, tais serviços em sua estrutura interna.

A contribuição sindical é facultativa, mas é essencial para o fortalecimento do mercado varejista.

É a contribuição sindical que permite o financiamento da produção de estudos e pareceres – jurídicos e econômicos – que auxiliam na tomada de decisões dos empresários, principalmente em momentos de crise como o que o país atravessou nos últimos anos;

Foi graças a recursos advindos da contribuição sindical que várias iniciativas foram realizadas pelo SINCOVAGA buscando e conseguindo a desoneração de vários encargos previdenciários.

Por meio da contribuição sindical foi possível o desenvolvimento de estratégias e o fortalecimento na defesa de causas importantes juntos aos órgãos públicos, que culminaram em grandes conquistas, como o fim da CPMF e a criação do Simples Nacional, dentre muitas outras.

Não fosse tudo isso, o impacto financeiro da contribuição sindical é mínimo, considerando que a contribuição é anual, o que dá cerca de R$ 17,00 por mês para a maioria das empresas.

É importante que a contribuição seja paga dentro do prazo de vencimento, que também não foi alterado: 31/01/2018 para pessoa jurídica, isso porque após esta data há acréscimos legais. 

Comentários