31 de julho, 2021

Notícias

Home » Destaques » Queda maior que a esperada do varejo em janeiro já revelava fragilidade do governo antes mesmo do surto do coronavírus

Queda maior que a esperada do varejo em janeiro já revelava fragilidade do governo antes mesmo do surto do coronavírus

De acordo com a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) divulgada hoje (24/03) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o volume de vendas do varejo registrou queda de 1,0% em janeiro, na comparação com dezembro de 2019, já computados os ajustes sazonais. A retração maior que a esperada para o primeiro mês do ano representou o pior resultado mensal para meses de janeiro desde 2016 (-2,6%).

Cinco dos oito segmentos pesquisados revelaram taxas negativas, com destaque para as retrações nas vendas de móveis e eletrodomésticos (-1,9%), combustíveis e lubrificantes (-1,4%) e hiper e supermercados (-1,2%). No comparativo anual, as vendas apresentaram a menor taxa (+1,3%) dos últimos sete meses e o resultado mais fraco para meses de janeiro desde 2017 (-1,2%).

Esses resultados já evidenciavam a fragilidade no processo de recuperação do consumo e, naturalmente, não capturam a forte perda de atividade econômica, verificada pelo setor a partir da intensificação da pandemia de coronavírus, decretada mundialmente no dia 11 de março.

 

Clique aqui e leia o documento na íntegra.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Olá! Tudo bem?
Como podemos te ajudar?